Doenças Oculares

Catarata

 

 

O que é? 

É uma doença ocular caracterizada pela opacidade do cristalino. 
 

O cristalino, lente intraocular, é fundamental para seu funcionamento. É esta lente natural que capta a luz externa e permite a passagem das imagens, projetadas na retina, no fundo do olho. Para a boa visão, é fundamental que o cristalino esteja transparente. A perda dessa transparência causa embaçamento progressivo da visão.


Prevalência:  17,6% nos indivíduos com menos de 65 anos; 

                  47,1% entre 65 e 74 anos;                 

                  73,3% nos indivíduos com mais de 75 anos

 


O que causa?

As principais causas da catarata são:

·         Senilidade: o cristalino é formado por camadas transparentes. Com o passar do tempo, essas camadas envelhecem e perdem a transparência.

·         Trauma: pancadas ou perfurações nos olhos provocam inflamações que podem prejudicar a transparência do cristalino. 

·         Congênita: é quando o indivíduo nasce com a doença – neste caso, a idade não é determinante. Também tem solução com cirurgia. Pode ser hereditária, 20% dos casos, ou causada por infecções. A rubéola durante a gestação é uma das principais causas.

·         Induzida por medicamentos: quando os corticóides são usados por tempo prolongado e em grande quantidade, o cristalino se opacifica.

·         Radiação ultra violeta, doenças nutricionais, diabetes. 

 

Principais sintomas

  •  Embaçamento visual;
  • Diplopia monocular (visão dupla);
  • *  Redução da acuidade visual;
  • *  Diminuição da percepção de cores ou visualização de cores com aparência de cores desbotadas ou amareladas;
  • * Necessidade de maior luminosidade para leitura;
  • * Troca frequente do grau dos óculos;
  • * Fotofobia (sensibilidade à luminosidade);
  • * Dificuldade de visão à noite;
  • * Auréolas ao redor das luzes;
  • * Ofuscamento - proncipalmente nas pessoas que precisam dirigir à noite; 

 

Tratamento:

O tratamento da catarata é sempre cirúrgico. Há relatos de cirurgias de catarata até mesmo antes de Cristo. Só por curiosidade: o Código de Hammurabi (1800 a.C) previa amputação das mãos no caso dos médicos causarem lesão grave no olho do paciente na tentativa de se operar a catarata. 

Atualmente, a cirurgia consiste na remoção do cristalino, por um processo chamado microfragmentação e aspiração do núcleo, que é denominado facoemulsificação. Por fim, há o implante de uma lente intraocular, para que seja compensada a retirada do cristalino.


Técnica: FACECTOMIA EXTRA CARBULAR: incisão na córnea, 9mm. Retira-se o cristalino e coloca-se lente intraocular. Depois faz-se sutura cóneo-escleral.

O processo de facoemulsificação permite que o procedimento seja realizado por pequenas incisões. Esta técnica oferece maior segurança e mais rápida recuperação para o paciente. Além disso, a cirurgia pode ser feita em poucos minutos e com anestesia tópica (local).

Exames pré-operatórios vão determinar o grau da lente a ser implantada bem como a melhor técnica a ser escolhida para essa cirurgia. Na criança, quanto mais cedo for feito o tratamento maior será a chance de recuperação da visão.  

 

  

Texto revisado pelo Dr. Luciano Arantes 




« Voltar
   
©2008-2014. Associação dos Cegos. Todos os direitos reservados.
Tecnologia